Notícias

Fique por dentro do universo Sulwork

Sulwork participa Fórum Healthcare Business 2018

24 de Setembro, 2018

A Sulwork participou de 21 a 23 de setembro do Fórum Healthcare Business, realizado em Guarujá/SP. A pauta do evento foi a gestão do tempo nos serviços da área da saúde e quem passou por lá pode conhecer as soluções da Sulwork para a área.

 

Veja mais fotos: https://www.flickr.com/photos/saudeonline/albums/72157701688767405

 

O Fórum Healthcare Business 2018, realizado pelo Grupo Mídia – empresa 100% brasileira responsável pela publicação de veículos referência no setor –, aconteceu nos dias 21 e 23 de setembro. Uma das empresas expositoras foi a Sulwork, empresa que atua em suporte e inteligência em Tecnologia da Informação.

 

Em entrevista, Carlos Rodrigo Schuster, diretor de novos negócios da Sulwork, fala que espera uma saúde do futuro com mais inovação. “Realmente com soluções mais integradas proporcionando uma experiência melhor para o paciente que é o que todos buscamos”, ressalta. Confira!

 

Tecnologia na Saúde traz inteligência, segurança e eficiência ao cuidado

18 de Junho, 2018

por Ubirajara Maia, Diretor corporativo de sistemas da MV

 

Para alcançar esses resultados, TI deve atuar de forma estratégica e colaborativa com a gestão, fornecendo subsídios para insights de negócios

A tecnologia na Saúde promove resultados que aliam segurança do paciente e retorno financeiro - a dupla que é o sonho de muitas instituições. Mas algumas ainda não entenderam que, para alcançar essa meta, investir em inovação não basta - a tecnologia da informação (TI) precisa ser estratégica para fazer a diferença.

 

“TI não importa”.

A frase, curta e polêmica, é do articulista de Harvard Nicholas Carr. Ele destaca que, na era da transformação digital, a TI é tão comoddity quanto energia, internet ou outro insumo qualquer - ou seja, não se trata mais de um diferencial, mas sim de uma ferramenta essencial para as organizações de Saúde. Para que haja, de fato, esse diferencial, o departamento deve ir além do perfil técnico, contribuindo para gerar insights de negócio. Na prática, é o mesmo que dizer que o profissional não deve ser chamado só quando o computador não funciona, mas sim em todos os momentos estratégicos. É ele, inclusive, quem trabalha os dados que vão apoiar as decisões.

 

 Por isso, a gestão da informação é fundamental para as organizações do futuro: ela traz a segurança do paciente, a inteligência dos processos e a eficiência dos recursos. Nesta edição da Feira Hospitalar, realizada em maio, isso ficou ainda mais evidente. O evento trouxe muitos lançamentos voltados à mobilidade, uma exigência cada vez maior tanto dos gestores quanto dos próprios pacientes: pesquisa da Ipsos aponta que 69% da população mundial não se imagina em um cotidiano sem celular ou aplicativos.

 

 Mesmo assim, não basta desenvolver um app apenas para dizer que tem um. Se ele não trouxer assertividade ao dia a dia do usuário, vai ser o primeiro deletado quando faltar espaço no smartphone - ou, simplesmente, não será utilizado da maneira esperada, dificultando o alcance dos resultados. Sem usabilidade e entendimento dos motivos pelos quais a inovação é adotada, há pouco (ou nenhum) engajamento dos colaboradores, que são os responsáveis por gerar os dados que levarão a organização a alcançar os resultados almejados.

 

Nesse sentido, deve-se primeiro compreender as necessidades dos envolvidos na assistência antes de adotar a tecnologia na Saúde. E a TI estratégica é crucial para isso, porque é capaz de ouvir gestores, equipes, parceiros e o paciente e, assim, buscar a melhor solução para os problemas.

 Quer um exemplo? Um aplicativo que automatiza todos os procedimentos envolvidos na preparação de uma cirurgia torna menos burocrático e mais inteligente esse processo. A tecnologia possibilita acesso, na palma da mão e em qualquer lugar, a informações de rastreabilidade dos pacientes, censo do centro cirúrgico, pendências antes do transporte de pacientes, preenchimento de protocolos de segurança, e acesso às informações de cirurgias e aos prazos de realização dos procedimentos. Tudo isso facilita a comunicação entre as equipes envolvidas e traz eficiência na gestão hospitalar, já que com os dados reunidos é possível extrair indicadores que servem de subsídio para a avaliação da qualidade e da produtividade.

 

 O aplicativo já existe, mas a segurança do paciente, a inteligência desse processo e a eficiência do cuidado só serão alcançadas se gestão e pessoas forem envolvidas desde o início da implantação, com um olhar sobre o todo e com o objetivo principal de cuidar de vidas. Com os dados dos apps e sistemas sendo coletados e organizados sistematicamente, será possível, num futuro muito próximo, a aplicação da inteligência artificial como ferramenta de apoio à decisão clínica - o que revolucionará a forma como as doenças são tratadas, permitindo agilidade e preditividade. O modelo que alia gestão, tecnologia e pessoas é o que certamente nos ajudará a chegar lá.

Entrevista para BandNews da Feira Hospitalar 2018

18 de Junho, 2018

Confira a entrevista concedida para o programa Feira de Negócios da BandNews TV, diretamente da Feira Hospitalar 2018 que aconteceu em São Paulo nos dias 21 a 24 de maio.

MV Experience Fórum: presidente da Microsoft e cientista-chefe da IBM estão entre confirmados

A Sulwork também estará marcando presença com seu estande no evento

08 de Agosto, 2017

A Saúde Conectada com a Transformação Digital. Com esse tema em foco, o MV Experience Fórum 2017, em sua sétima edição, promete reunir grandes nomes do setor para debater o futuro da Saúde no Brasil. O evento, que será realizado nos dias 10 e 11 de agosto, no Recife, não poderia deixar de fora a revolução proporcionada pela inovação tecnológica. Com esse propósito, trará como convidados especiais a presidente da Microsoft no Brasil, Paula Bellizia, e o cientista-chefe da IBM Brasil, Fábio Gandour.

 

Em sua palestra, Paula abordará o tema "A Quarta Revolução Industrial e a Transformação Digital" e assuntos relacionados à fusão de tecnologias sem barreiras e à visão da Microsoft sobre inteligência artificial. Já Gandour abrirá o evento no dia 11 de agosto com a discussão "O futuro da Saúde – Ação, Decisão e a Maldição dos 3 C’s: Conhecimento, Cognição & Custo".

 

 

DIA 1

 

 

A primeira atividade do evento abordará a transformação digital - movimento no qual os processos e procedimentos analógicos de todos os setores da economia dão espaço aos informatizados. Ela afeta diretamente a Saúde, sob a promessa de melhoria da competitividade e mais segurança e qualidade de vida ao paciente. O diretor corporativo de Sistemas da MV, Ubirajara Maia, e o diretor de Inovação da MV, Emerson Zarour, falarão sobre o tema com foco nas inovações tecnológicas e como elas apoiam a evolução do segmento.

 

 

A inovação evolutiva e os desafios no processo de migração de plataformas serão abordados em palestra que traz como destaque o CEO do Hospital Leforte, Rodrigo Lopes, além de cases do hospital Mater Dei e da Associação Congregação Santa Catarina. A importância do gestor e da mudança cultural para o engajamento de funcionários e pacientes na utilização de ferramentas tecnológicas está entre os destaques da atividade.

 

 

A possibilidade do uso de analytics para apoiar decisões que geram ações e resultados nas organizações de Saúde trará o diretor da Unidade Sistemas Estratégicos da MV, Sócrates Cordeiro. O conceito de análise estatística de dados envolve modelagem preditiva, data mining (mineração dos dados) e forecasting (previsão) e, aliado ao big data, ou seja, os dados não-estruturados armazenados pelas organizações, pode resultar em redução de desperdícios e custos, melhoria nos cuidados dos pacientes, pesquisa e desenvolvimento da indústria farmacêutica, melhoria na transparência dos subsídios governamentais e no monitoramento da saúde digital.

 

 

O hospital digital será debatido em palestra que abordará a infraestrutura essencial para a implantação do modelo. O modelo de armazenamento via cloud computing também será abordado na atividade, que contará com a participação da Santa Casa de Araraquara, Rede Impar e Hospital de Clínicas.

 

 

Programação dia 10 de agosto

 

 

09:00 - Palestra Magna - A quarta revolução industrial e a transformação digital

 

 

 

 

  • Paula Bellizia (Microsoft)

 

 

10:30 - Transformação digital: tendências e novidades MV

 

 

 

 

  • Ubirajara Maia (MV)Emerson
  • Zarour (MV)
  • Especialistas em Sistemas de Gestão (MV)

 

 

14:00 - Inovação Evolutiva: os desafios no processo de migração

 

 

 

 

  • Rafaella França (Hospital Mater Dei)
  • Rodrigo Lopes (Hospital Leforte)
  • Vinicius Tadeu (Associação Congregação Santa Catarina)

 

 

15:20 - Utilizando Analytics para apoiar decisões que geram ações e resultados

 

 

 

 

  • Sócrates Cordeiro (MV)
  • Tiago Damasceno (Hospital Le Forte)
  • Cesar Abicalaffe (2iM)

 

 

16:50 - Infraestrutura tecnológica para o hospital digital

 

 

 

 

  • Alessandra Karine (AWS)
  • Jader Pires (Santa Casa de Araraquara)
  • Sérgio Brasil (Rede Impar)
  • Jacson Barros (HCFMUSP)

 

 

DIA 2

 

 

Na programação do segundo dia o hospital digital volta ao debate. Dessa vez o tema é a importância das acreditações hospitalares, tais como Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS), Organização Nacional de Acreditação (ONA), Joint Commission International (JCI) e Accreditation Canada. O reconhecimento representa os esforços das organizações de Saúde para capacitar o capital humano, padronizar processos, automatizar procedimentos administrativos, e, com isso, profissionalizar a gestão, reduzir custos e alcançar a excelência na prestação de serviços. Os destaques são a participação de Fernando Cruz, do diretor médico do Hospital Unimed Recife III, o primeiro a alcançar o Estágio 7 da acreditação da HIMSS na América Latina, e de Claudio Giuliano, diretorda consultoria Folks.

 

 

Também haverá espaço para abordar o coração do hospital digital: o Prontuário Eletrônico do Paciente(PEP). A ferramenta é vista como o primeiro passo para se tornar um hospital digital, já que garante padronização nos procedimentos, precisão no diagnóstico e qualidade na assistência, proporcionando a prática da medicina baseada em evidências, a eliminação do papel, o foco no aumento da produtividade e ampliação da segurança do paciente.

 

 

Gestores ainda poderão discutir o papel dos protocolos clínicos gerenciáveis e sistemas de apoio à decisão, instrumentos desenvolvidos para auxiliar os profissionais da Saúde na tomada de decisões — sejam elas simples ou complexas — que exijam paradigmas clínicos e subsídios teóricos realmente confiáveis para que possam ser aplicados pelos médicos de um hospital na assistência de seus pacientes. Mais uma vez o destaque fica por conta da participação do Hospital Unimed Recife III, com palestra de Kleber Araújo.

 

 

O conceito de transformação digital volta ao centro dos debates na última palestra do segundo dia, com a participação de Mônica Bezerra, do Hospital Santa Izabel, e Patrícia Ruas, do Hospital Mãe de Deus. As especialistas abordarão como a transformação digital pode trazer melhoria de performance para as organizações de Saúde por meio do avanço dos sistemas de informação, que permitem automatizar, registrar, agregar e interpretar dados muito mais fácil e assertivamente. Assim, é possível gerar informações estratégicas de extrema importância, tudo em tempo real.

 

 

Programação dia 11 de agosto

 

 

08:30 - Palestra Magna - O Futuro da Saúde - Ação, Decisão e a Maldição dos 3 C's: Conhecimento, Cognicão & Custo

 

 

 

 

  • Fábio Gandour (IBM)

 

 

09:00 - Hospital Digital e as acreditações HIMSS, ONA, JCI e Canadense

 

 

 

 

  • Cláudio Giulliano (FOLKS)
  • Fernando Cruz (Hospital Unimed Recife III)
  • Debate:Rubens Curvelo (IQG)
  • Klaiton Simão (Rede São Camilo São Paulo)
  • Fernando Cruz (Hospital Unimed Recife III)
  • Paulo Magnus (MV)
  • Claudio Giulliano (FOLKS)

 

 

11:10 - Prontuário Eletrônico do Paciente: o coração do Hospital Digital

 

 

 

 

  • Daennye Bezerra (MV)
  • Thamires Galli (Unimed Sorocaba)
  • Dr. Matheus Ferla (Hospital Mãe de Deus)
  • Franco Motta (MV)

 

 

14:00 - Protocolos clínicos gerenciáveis e sistemas de apoio à decisão

 

 

 

 

  • Kleber Araújo (Hospital Unimed Recife III)
  • Debate:Dr. Marco Aurélio (Unimed Volta Redonda
  • Dra. Camila Sardenberg (Hospital Santa Catarina)
  • Dr. Edson André Stakonski (Hospital Unimed Chapecó)

 

 

16:00 - Melhoria de performance

 

 

Debate:

 

  • Mônica Bezerra (Hospital Santa Izabel)
  • Patrícia Ruas (Hospital Mãe de Deus)

 

 

Encerramento

 

O MV Experience Fórum 2017 será encerrado com a solenidade que comemora os 30 anos da MV. São três décadas de parceria entre a empresa e as organizações do setor com um objetivo principal: tornar a gestão da Saúde mais eficiente e humanizada.

Sulwork © 2015 - 2018